CASA ALPENDRE


Projecto inicialmente elaborado para um concurso nacional em 2006, captou a atenção de um cliente privado em 2011. A ideia que dominou o desenvolvimento do projecto foi a de levar ao limite a introdução de um alpendre na casa.

Ao contrário da máquina de habitar corbusiana, esta não está “em movimento” sobre os pilotis. Assenta antes numa base que define o local exacto onde a estrutura de cobertura se apoia. Estrutura de cobertura e base formam assim uma unidade. Como uma stoa grega apresenta uma colunata aberta, mas, a reunião aqui é familiar.

A Casa Alpendre foi desenvolvida conceptualmente em 3 momentos. O Momento a) corresponde à humanização de um terreno, criando a base, e consequentemente um local de paragem. O Momento b) visou a criação de uma cobertura protegendo essa base do sol e da chuva, propiciando-se um local de encontro. No Momento c) procurou-se criar uma protecção ao vento, frio e calor, tornando o local de encontro num local de permanência, num abrigo (uma casa).





Os 4 planos de vidro foram recuados em relação à estrutura da colunata exterior, formando assim um alpendre periférico, que cria sombreamento nas superfícies envidraçadas no Verão e permite a entrada de luz no Inverno.




























Ano: 2011 - … | Localização: Peniche, Portugal | Cliente: Privado | Arquitectura e Coordenação: Alberto Dias Ribeiro | 3D's: Jorge Brandão

:: voltar ao menu ::
© 2017 A2OFFICE ® . Todos os conteúdos deste site estão protegidos pelo CDA.